Porque Sou Batista


Porque Sou Batista
Pastor Calvin Gardner
Texto: Ml. 3.1; Ef. 3.14-21
Introdução – Que fique esclarecido já no inicio deste estudo que não estamos tratando diretamente sobre a salvação nesse estudo. Igreja nenhuma salva, nem mantém qualquer salvo nessa condição. Também não existe nenhuma igreja que tem exclusividade da salvação. Nenhuma denominação é dona da verdade ou tem a chave do céu ou do inferno. Cristo é A Verdade, portanto, Ele é o Dono da Verdade (Jo. 14.6). A chave do céu e do inferno pertence a Jesus (Ap. 1.18; 3.7).
Devo deixar claro também que a igreja não é a coleção de todos os salvos no mundo. A Bíblia usa a palavra “igreja” para referir-se a uma reunião de pessoas que tem fins especificas. Por exemplo, em Atos 19.39, a palavra grega que é traduzida “igreja” (#1577, Strong’s) na sua maioria das vezes no Novo Testamento, é traduzida neste caso “assembléia” para referir-se à assembléia jurídica. Pessoas ajuntadas para tratar assuntos jurídicos biblicamente são uma ‘ecclesia’, congregação, reunião, ou igreja. A Bíblia não usa o termo ‘igreja’ para falar de todos os salvos na terra e no céu, mas de grupos dos salvos separados para obedecer as Escrituras. A Bíblia usa “família de Deus” (Ef. 3.15) ou “Reino de Deus” (Jo. 3.3-5) para falar da totalidade dos salvos. Quando há um grupo de pessoas reunidas conforme o padrão neotestamentário, aí é uma igreja. Quando há mais de um destes grupos de pessoas reunidas conforme o padrão neotestamentário, a Bíblia usa o termo “igrejas” (Gl. 1.2; Ap. 1.20). Portanto não há nenhuma “igreja” no mundo hoje que reúne todos os salvos.
Mesmo que nenhuma igreja salva, e a igreja não é a coleção de todos os santos, pode-se perguntar: Que importância há de ser membro de uma igreja? A mensagem correta da salvação só pode ser declarada corretamente pelos que a conhecem. Se a Bíblia não é manuseada de forma correta, uma igreja pode deturpar o Evangelho. Assim se vê a importância da igreja. Também a obediência do salvo é importante para Deus (Jo. 4.24-25). Pela obediência correta do salvo Ele é glorificado. Portanto, se percebe a importância de uma igreja que ensina cabalmente a Verdade.
A Palavra “Batista” – O profeta Malaquias proferiu uma profecia dizendo que Deus enviará diante dele o Seu mensageiro, “que preparará o caminho diante de Mim” (Ml. 3.1; Is 40.3; Lc. 1.76). Quatrocentos anos depois se cumpriu essa profecia. Jesus, referindo-se a este homem, destacou-o como sendo “muito mais do que profeta” (Mt. 11.9). Jesus ainda diz deste: “que entre os que de mulher têm nascido, não apareceu alguém maior”. Pela inspiração do Espírito Santo, Deus deu um nome distinguido a este homem chamando-o “João o Batista” (Mt. 11.11). Nada ruim ser chamado Batista se Deus assim o aprovou. A palavra grega aqui traduzida ‘Batista’ significa: aquele que batiza (#910, baptistes, Strong’s). O titulo “o Batista” era dado a João por ele imergir os que atenderam a sua mensagem de arrependimento dos pecados e creram pela fé no Senhor Jesus como Salvador (Mt. 3.1-8). Não é de primeira importância o seu batismo, mas a sua mensagem, ou seja, se você já arrependeu-se dos seus pecados e crê no Senhor Jesus Cristo. Por João batizar os salvos ele foi chamado “o Batista”. O nome “Batista” veio da prática deste destacado homem enviado por Deus (Jo. 1.6; Lc. 1.76-80).
Existe uma igreja hoje que recebeu o seu nome pela sua prática de batizar biblicamente os que desejam ser membro dela. Como João o Batista pediu que produzissem frutos dignos de arrependimento (Mt. 3.1-8; Lc. 3.8), essa igreja batiza somente os que comprovadamente são salvos (At. 2.41; 26.20). Como existem grupos que não se identificam com a doutrina e prática neotestamentária, os salvos vindo de tais grupos necessitam receber o batismo neotestamentário primeiro para serem membros. Por causa dessa prática bíblica (At. 19.1-7) a historia relata que os inimigos desta igreja deram, entre outros nomes, o nome de Anabatistas, e depois foram chamados simplesmente por Batistas. Eu sou um destes, um Batista.
Infelizmente ainda hoje é evidente confusão sobre o que é um Batista. Muitos pensam que os Batistas são Protestantes e saíram da igreja católica. Outros pensam por ter o nome Batista, os Batistas começaram no século XVI quando o nome Batista veio ser popular. Outros pensam que os Batistas são iguais às outras igrejas que imergem os adeptos delas (Mórmons, Testemunhas de Jeová, Pentecostais). São errôneas todas estas idéias que muitos têm sobre os Batistas. Para esclarecer estes erros trago esse estudo com razoes bíblicas porque sou Batista. Eu creio que se você é salvo e deseja servir ao Salvador Jesus Cristo corretamente; você também deve ser um Batista.
I. O Seu Começo é Bíblico
A Igreja neotestamentária que veio a ser chamada “Batista” tem um começo bíblico pois começou com Jesus Cristo. Jesus interpretou a profecia de Malaquias que nos diz: “O meu mensageiro, que preparará o caminho diante de Mim” como sendo João o Batista. (Mt. 11.9-13; Ml. 3.1). João o Batista de fato veio antes de Jesus (Lc. 1.15-17, 36, 76). Ele não veio para começar uma obra mas para preparar o material para que Jesus começasse a Sua igreja (Jo. 1.29-34). João veio batizando discípulos (Mt. 3.1-8) e destes que João batizou, Jesus escolheu doze para O seguir durante Seu ministério antes da Sua crucificação (Lc. 6.12-13).
Segundo a profecia de Malaquias (Ml. 3.1) e de Isaías (Is 40.3), aquele que deveria de vir depois de João seria o Senhor Jesus (“O Senhor”, “O Mensageiro da Aliança”, “A Quem vós desejais”). De forma alguma seria Pedro ou qualquer outro homem em qualquer época. A confissão de Pedro que Jesus é o Cristo o Filho do Deus vivo é o alicerce sobre qual Jesus edificou a Sua Igreja e não sobre a pessoa de Pedro (Mt. 16.13-19). Por isso Jesus chamou esta “ekklesia” (ajuntamento, reunião, congregação, igreja) a “minha Igreja”.
A igreja conhecida hoje pelo nome “Batista” é Bíblica pois começou no lugar certo. A Igreja neotestamentária começou na Palestina. Foi somente nessa terra que Jesus ministrou. Por isso seria impossível para a Igreja que Cristo instituiu a não ser de Palestina como também foi impossível para Jesus não nascer, crescer e ministrar em outro lugar a não ser em Palestina. A igreja neotestamentária que foi organizada em Palestina é aquela Igreja que em tempo oportuno na história veio a ser conhecida pelo nome Batista. Muitas outras igrejas de tipos diferentes foram organizadas na Europa, na America do Norte, e na America do Sul. Difícil seria para quaisquer destas igrejas que começaram em outros lugares comprovarem um histórico apoiado pela profecia do Velho Testamento, e pelo cumprimento desta profecia no Novo Testamento. Porém, os Batistas podem.
A Igreja Batista tem um começo Bíblico, pois foi constituída no tempo certo. A Igreja neotestamentária começou durante o ministério publico de Jesus. Até o tempo da ascensão de Jesus essa Igreja tinha o seu começo, uma membresia, as duas ordenanças, um tesoureiro, o seu pastor, a prática de disciplina, a formação básica de doutrina e a sua comissão. Tudo isso antes do dia de Pentecostes. No dia de Pentecostes essa Igreja foi autenticada do céu publicamente. Os que foram salvos e batizados no dia de Pentecostes foram agregados àquela instituição já existente e que contava com no mínimo 120 membros (At. 1.15; 2.41). Se pode dizer que a Igreja Batista é neotestamentária, pois foi instituída corretamente, ou seja, durante o ministério pessoal do Senhor Jesus Cristo.
O começo da Igreja Batista é Bíblico, pois começou com a membresia correta, ou seja, com os que João o Batista batizou. Jesus, o fundador, e todos os primeiros membros desta igreja foram batizados por João o Batista. Em I Co. 12.28, Paulo nos ensina que Deus pôs na Igreja primeiramente os apóstolos. Para ser um apóstolo, era necessário, entre outras qualificações, conhecer o batismo de João (At. 1.21-22). Somente aquela igreja que tem Cristo como fundador e foi instituída na Palestina durante o Seu ministério público pôde ter a membresia inicial correta e assim ter o começo Bíblico.
Desde então a membresia deve ser somente de salvos. Somente pessoas convertidas com a salvação assegurada pela graça em Jesus Cristo devem ser membros. No Novo Testamento a mensagem é: o sangue antes da água. João o Batista pregou o arrependimento e a fé para ser salvo (Mt. 3.1-2). Os que ele batizou no rio Jordão foram os que confessaram os seus pecados (Mt. 3.6). A necessidade da fé antes do batismo é enfatizada por Marcos quando registra “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc. 16.16). No dia de Pentecostes quem poderia ser batizado em nome de Jesus Cristo foi os que arrependeram-se dos seus pecados. A estes o batismo era administrado “para”, ou, ‘em referencia ao’ perdão dos seus pecados (At. 2.37-38). Enfatizando essa instrução de Pedro foi a prática que logo seguia, ou seja, os que de bom grado receberam a Palavra foram batizados (At. 2.41). O diácono Felipe instruiu o Eunuco que nada lhe impediria que fosse batizado se antemão de todo coração cresse. Depois da sua confissão de fé, Felipe o batizou (At. 8.35-39).
Para uma igreja ser Bíblica não pode ser como a Igreja Católica ou as igrejas da Reforma (Presbiteriana, Luterana, Anglicana). Essas permitem ter entre os seus membros os que não se arrependeram ou confessaram sua fé pessoal em Cristo. Também permitem outros abusos de doutrina tais como o batismo infantil, o batismo pela aspersão, a transubstanciação, e a consubstanciação. Por estas razões sou Batista. Também sou Batista por que:
II. A Sua Mensagem Limita-se Ao Evangelho Eterno
A Igreja neotestamentária tem o evangelho correto. O evangelho é a mensagem de Jesus Cristo. Essa mensagem inclui a Sua primeira vinda segundo a profecia; a Sua vida imaculada conforme as Escrituras; a Sua morte em substituição para todos aqueles que se arrependem e crêem nEle. Também inclui o Seu sepultamento por três dias; a Sua ressurreição no terceiro dia e a Sua ascensão à destra do Pai conforme as Escrituras (I Co. 15.1-8). A promessa da Sua segunda vinda segue logo nessa mensagem. Este evangelho começou a ser aberto e publicamente ministrado pelo ministério de João o Batista (Mc. 1.1-8; Mt. 11.13; Lc. 16.16). Mesmo que o Velho Testamento, na Lei e na Profecia, por simbologia, figuras e tipos pregava o Evangelho eterno, tudo qual foi cumprido em Jesus Cristo, temos no Novo Testamento o próprio Cristo presente. Este Evangelho não foi apenas pregado por João mas também por Jesus (Mc. 1.14-15) e pelos Apóstolos (At. 8.25; 20.21; 26.20). Jesus também enfatizou que este mesmo evangelho do reino “será pregado em todo mundo, em testemunho a todas as nações” (Mt. 24.14). Quer dizer, aquilo estabelecido por João no principio do Evangelho não terá mudança. Não há um evangelho diferente para os Judeus antes do dia de Pentecostes e para os Gentios que seriam salvos depois deste evento (At. 15.9; Rm. 1.16). Se você necessita de descanso para a sua alma, arrependa-se dos seus pecados e creia já em Jesus Cristo.
Cristo consumou a obra da salvação na cruz e o Seu Pai O ressuscitando deu certeza a todos que Ele aceitou a obra consumada do Seu Filho (At. 17.30-31). Na Bíblia, a observação de uma ordenança eclesiástica nunca é posta entre a fé em Cristo e a salvação. Foi Cristo quem morreu e quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à destra de Deus onde intercede pelos Seus. Não existe condição de observar uma ordenança da igreja para ser salvo (Rm. 8.34). Quem confia neste evangelho de Jesus Cristo tem a vida eterna agora (Jo. 3.36; 5.24) e para sempre (Jo. 10.27-28). Este foi o Evangelho que o próprio Filho de Deus pregou aqui na terra (Mt. 4.17, 23). Quando Cristo foi para o céu Ele legou este mesmo Evangelho àquela instituição que Ele chamou a “Minha Igreja”.
O necessário para ser salvo é o arrependimento dos pecados e a fé em Cristo Jesus (At. 16.30-31). Já está em Cristo? O batismo declara publicamente o que já aconteceu literal e espiritualmente no coração. Não há batismo que sela, confirma, completa, apóia, ou de outra forma ajuda aquela obra que Jesus veio a fazer, ou seja, buscar e salvar aquilo que havia perdido (Lc. 19.10). Se o batismo segurasse, completasse ou de outra forma auxiliasse a salvação, tanto os do Velho Testamento quanto o malfeitor arrependido na cruz faltariam algo para serem salvos perfeitamente, pois estes não foram batizados com o batismo neotestamentário. Mas, enfatizando que o batismo não segura, completa, ou de outra forma auxilia a salvação, temos a Palavra de Jesus prometendo ao malfeitor salvo na cruz mas sem o batismo: “Hoje estarás comigo no Paraíso”. Todos do Velho Testamento que também creram em Cristo são salvos eternamente sem o batismo pois Jesus, “Com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados”. Todos em Cristo têm a promessa que Deus jamais se lembrará de seus pecados e de suas iniqüidades. Se Cristo não basta não há mais oblação para o pecado (Hb. 10.10-18; Gl. 3.3). O batismo não ajuda ninguém a entrar na fé como também não segura os já na fé. Não é neotestamentária a doutrina pregada em muitas igrejas pentecostais ensinando que através de um tipo de batismo o Cristão melhora a sua salvação. A Bíblia ensina que o pecador injusto é trazido ao Justo somente pelo padecimento de Cristo, algo que o batismo apenas figura (I Pe. 3.18-22). A Bíblia também ensina que existe um só batismo verdadeiro (Ef. 4.5).
Enquanto as igrejas Protestantes misturam o Evangelho com as ordenanças, e muitas das igrejas Pentecostais misturam a manutenção da salvação com a obediência pessoal, os Batistas se limitam ao Evangelho eterno como tudo necessário para o pecador ser salvo eternamente. Por ser a sua mensagem o Evangelho Eterno, eu sou Batista.
Também sou Batista por que:
III. A Sua Missão é Única
Quando Jesus deu as chaves do Seu reino àquela instituição que Ele iniciou na Palestina durante o Seu ministério publico, Ele deu a ela a distinção de ser a instituição pela qual Deus trabalha na terra (Mt. 16.19; Ef. 3.21; I Tm. 3.15). Cristo autorizou e comissionou um tipo de ajuntamento de pessoas somente a evangelizar o mundo todo, a fazer discípulos em todas as nações, a batizar estes discípulos e a ensinar estes salvos tudo que Jesus mandou.
Se Deus estipulou um tipo de ajuntamento para fazer a Sua obra na terra, é presunção qualquer outro tipo de ajuntamento reivindicar tal distinção
Se Jesus comissionou aquele grupo que tem o começo Bíblico, outro grupo qualquer não tem a mesma comissão. Se Jesus comissionou este primeiro grupo de pessoas ajuntadas conforme a Sua vontade, e não há evidência de Ele incluir outros, somente um grupo com as características deste primeiro grupo de pessoas que Jesus ajuntou tem a autoridade para fazer essa comissão. Jesus prometeu: As portas do inferno não prevalecerão contra ela. Ele ensinou pela promessa a verdade que sempre existirá um grupo no mundo com as marcas distintivas deste primeiro grupo que Jesus começou.
O Espírito Santo pelo Evangelho de Mateus nos relata que este grupo recebeu a ordem de ir, fazer discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas as coisas que Ele mesmo os mandou (Mt. 28.18-20). Por Ele introduzir essa comissão com a frase “e falou-lhes”, Ele determinou qual grupo deve obedecer tal ordem. Ele está de forma especial com este grupo até a consumação dos séculos.
O Espírito Santo pelo Evangelho de Marcos nos relata que exclusivamente este tipo de igreja em particular foi mandado a ir por todo o mundo, pregando o evangelho a toda criatura (Mc. 16.15). Novamente Jesus introduziu o grupo que Ele determinou a fazer essa comissão com a frase: “disse-lhes”. Com este grupo o Pai cooperou confirmando a Palavra com os sinais (Mc. 16.20).
O Espírito Santo pelo Lucas relata que somente este tipo de congregação deve pregar em Seu nome a remissão dos pecados, em todas as nações, começando em Jerusalém (Lc. 24.46-47). Repetidamente essa comissão é dada exclusivamente a um grupo: “E disse-lhes”.
O Espírito Santo pelo apóstolo João descreve que como o Pai enviou a Jesus para fazer uma obra específica, Jesus também enviou este tipo de igreja em particular (Jo. 20.21, “Disse-lhes, pois, Jesus”).
O Espírito Santo destaca um tipo de ajuntamento que receberia a virtude do Espírito Santo. Foi aquele ajuntamento que tinha o seu inicio antes do dia de Pentecostes. Este tipo de ajuntamento seria as testemunhas dEle tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. (At. 1.4-8). Ele destacou qual grupo teria essa comissão pela frase: “E disse-lhes”.
Dou graças a Deus que existem pessoas salvas em outros ajuntamentos não neotestamentários, pois a Palavra de Deus é o poder de Deus para a salvação e não o ajuntamento. Damos graças a Deus que a Palavra de Deus é a semente incorruptível pela qual Seu povo nasce de novo (Rm. 1.16; I Pe. 1.23-25).
Porém, por Cristo entregar a esse tipo de ajuntamento bíblico a responsabilidade dessa comissão, somente esse tipo de ajuntamento neotestamentário tem a Sua autoridade de pregar, batizar e ensinar a Sua palavra. A autoridade de administrar as ordenanças é com este tipo de igreja neotestamentária somente. Por isso: Examine os que venham a nós de outras práticas. Aceitam apenas os batismos de igreja que têm a mesma prática. Nem todas as igrejas bem intencionadas têm a autoridade de Jesus Cristo.
Conclusão – Mesmo que nenhuma igreja tem o poder de salvar ou manter alguém nessa condição, e mesmo que nenhuma igreja tem exclusividade de ter todos os salvos como membro, existe um tipo de igreja que é bíblica e verdadeira. Essa igreja verdadeira é neotestamentária. Essa igreja verdadeira tem Jesus Cristo como Fundador; foi instituída na Palestina durante o ministério publico de Cristo e foi constituída no seu princípio por pessoas batizadas por João o Batista. Essa igreja prega o Evangelho eterno como suficiente para a salvação eterna e somente ela tem a autoridade de administrar as ordenanças dadas à igreja, ou seja, batizar e administrar a Ceia do Senhor. Hoje essa igreja geralmente é chamada pelo nome “Batista”.
Por causa de Deus receber glória por Jesus Cristo pela igreja correta (Ef. 3.21) eu quero ser cuidadoso acerca da igreja que faço parte. Em razão dos membros dessa igreja serem levados à fé e à obediência pela operação do Espírito Santo (Ef. 1.23; I Co. 12.13) quero ser parte dela. Pela razão que a obediência bíblica é pela atividade de uma igreja neotestamentária, eu quero servir numa igreja correta. Por isso sou Batista. Creio que você deve ser batista também pelas mesmas razões.
Os que querem servir seu Salvador com obediência neotestamentária fazem tal obediência melhor numa Igreja com os traços históricos dos Batistas.
Por que você é batista?
Para que você não é batista?
Bibliografia:
Biblia Sagrada, Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, São Paulo, 1995.
PENDLETON, J. M., Why I am a Baptist, Stacy Printing Company, Buffalo, 1989.
STRONG, JAMES LL.D., S.T.D. Abingdon’s Strong’s Exhaustive Concordance of the Bible. Nashville, Abingdon, 1980
TAYLOR, H. Boyce, Why Be a Baptist? Ashland Avenue Baptist Church, Lexington, 1932.

Pastor Calvin G Gardner – http://www.PalavraPrudente.com.brPastorCalvin@PalavraPrudente.com.br

Lasă un răspuns

Completează mai jos detaliile despre tine sau dă clic pe un icon pentru autentificare:

Logo WordPress.com

Comentezi folosind contul tău WordPress.com. Dezautentificare / Schimbă )

Poză Twitter

Comentezi folosind contul tău Twitter. Dezautentificare / Schimbă )

Fotografie Facebook

Comentezi folosind contul tău Facebook. Dezautentificare / Schimbă )

Fotografie Google+

Comentezi folosind contul tău Google+. Dezautentificare / Schimbă )

Conectare la %s

%d blogeri au apreciat asta: